Prezado Professor Fernando Lima:

Há muito tempo leio seus artigos  e admiro a sua coragem, sua sensatez e o seu bom senso.

O senhor e o senador Gilvam Borges são os únicos brasileiros que têm coragem de enfrentar a OAB. O mesmo não se pode falar do senador Magno Malta e do Ministro da Educação que apóiam esse exame injusto, que não avalia ninguém. Confesso que fiquei desapontada ao ler no seu site que o senador Magno Malta deu seu parecer pela continuidade do exame de ordem e que o Sr.Fernando Haddad apóia essa imoralidade. Aliás, não só eu, mas milhares de bacharéis que estão impedidos de exercer a profissão que escolheram.

Esse exame tem tirado a tranqüilidade de muitas famílias. Eu pertenço a uma delas.

Sou mãe de uma bacharel que foi uma aluna excelente, uma estagiária competente (posso provar) e, no entanto, já fez o exame quatro vezes e não obteve êxito. É bom lembrar que em todas as vezes passou na primeira fase, porém não conseguiu passar na segunda fase. Fica tão nervosa, é compreensível,  que não consegue mostrar seus conhecimentos.

Essa pessoa de quem  falo, além de bacharel é assistente social, fala dois idiomas, fez vários cursos extra-curriculares, foi aprovada para fazer especialização em uma das melhores faculdades de um país que não vou citar, foi aprovada  para fazer estágio em prefeitura de um grande Estado e na Escola de Magistratura do Trabalho, tem uma grande bagagem cultural. Será que ela não tem capacidade  exercer a profissão que escolheu?

Mas isso agora não tem muita importância, porque neste momento ela luta contra uma profunda depressão, que adquiriu por conta desse maldito exame. Fico imaginando quantos bacharéis devem estar passando pelo mesmo drama.

Os colegas de faculdade e até alguns professores de cursinho que ela já freqüentou ficam revoltados com essa situação, porque sabem do seu potencial.

É revoltante para uma mãe ver uma filha, que era alegre e cheia de vida, chorar o dia inteiro e totalmente apática.

A OAB não perde por esperar, porque eu vou fazer com que o Brasil inteiro tome conhecimento disso. Vou me juntar a outras pessoas, procurar emissoras de televisão e mostrar o que esse exame fajuto está provocando. Não tenho medo da OAB.

Esta entidade fala com orgulho dos altos índices de reprovação, ofende os bacharéis apelidando-os de porcarias e incompetentes, mas não fala das falcatruas e dos escândalos em que supostamente alguns dos seus dirigentes estão envolvidos, não fala do erro primário que o presidente da OAB-SP cometeu quando teve um mandado de segurança indeferido por inépcia. Será que esses senhores têm ética e competência para serem advogados? Será que eles passariam no exame? Onde estão as autoridades deste país que não impedem esse absurdo? Por que não fazem  com que a Constituição seja cumprida? Até quando vamos engolir as injustiças patrocinadas por algumas pessoas neste país?

Acho hilário a OAB convocar a sociedade para movimento cívico contra a corrupção e as injustiças! É brincadeira!!

Desde já, agradeço a sua atenção.

Mãe desesperada.