Também conheço uma história

 

Bel. Dr. Antonio Julio Souza Velho – POA/RS
Cel. 51 – 84772221

27.12.2007

 

Também conheço uma história, que todo mundo conhece e que a OAB também conhece, que é a dos Cristãos.

 

Nos séculos passados, há muitos anos, os cristãos eram perseguidos, caçados e trucidados pelos Fariseus (Fariseu = membro de uma seita judaica que ostentava, hipocritamente, grande santidade; indivíduo hipócrita; (fig.) pessoa que aparenta santidade, não a tendo, conforme o Dicionário Aurélio). Essas pessoas eram levadas às arenas para servirem de diversão ao povo da época.

 

Graças a um imperador chamado Constantino, não mais foi permitido qualquer tipo de perseguição ou discriminação contra os cristãos. Esse imperador teve uma doença grave e precisou pedir a graça de um milagre de Deus, que lhe concedeu o milagre, fazendo com que descobrisse quem ele era perante Deus. Em agradecimento, passou a ser o maior devoto, cumpridor e bem feitor das obras de caridade de Deus.

 

Passados alguns anos, um grupo de "Cristãos", representados pela Santa Igreja Católica, inicialmente com o objetivo de servirem aos propósitos de Deus aqui na terra e seguirem os feitos de Constantino em seus designos, como criar templos, fazer arrecadações com os mais ricos para distribuir aos mais pobres, buscar os materiais necessários e dinheiro para custear as benfeitorias institucionais voltadas à caridade aos necessitados, tornando assim a Santa Igreja muito poderosa.

 

Porém, os seguidores da Santa Igreja, com o passar do tempo, esqueceram a que se destinavam os poderes a eles confiados. Esses gestores, que deveriam apenas administrar os bens para fins caridosos, passaram a governar em causa própria, colocando os seus interesses políticos e pessoais em primeiro lugar, usurpando assim o poder de quem realmente de direito os tinha. Pior ainda, para locupletarem-se, começaram a cometer crimes horríveis em nome de Deus - época que conhecemos como obscura na história da humanidade, até com a chegada de Jesus.

 

Portanto, senhores, os Cristãos, de perseguidos, viraram perseguidores, repetindo as piores atrocidades que poderiam ser conhecidas na época dos Fariseus. E para eles continuarem cometendo os seus crimes, guardaram a sete chaves os conhecimentos da humanidade, colocando assim as pessoas na completa ignorância do saber.

 

Destarte, meus colegas, amigos, parentes e simpatizantes do Movimento, estamos buscando não só o direito de usar o nosso conhecimento, mas o direito de exercê-lo e difundi-lo, pois no momento que os novos advogados são impedidos de exercerem o seu trabalho por esse grupo de gestores arrivistas que estão no poder, cometendo esses crimes, locupletando-se do poder, que não é deles e sim do povo, estão prejudicando milhares de pessoas, cidadãos de bem que com muito suor e sacrifícios conquistaram seus justos Títulos, definidos por dicionários, como o Aurélio e outros: "Titular de um documento que torna autêntico um direito de grande honraria", protegida por Lei Constitucional Federal e pela Lei de Diretrizes da Educação Superior do Ministério da Educação e Cultura, Lei nº 9.394/1996, que revoga qualquer provimento de órgão, inclusive o da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB, emitidos por esses maus gestores que estão colocando a Ordem em um desvio de função, que além de lhes causar inúmeros prejuízos aos milhares de novos profissionais, fazem um estrago ainda maior à sociedade em geral.

 

Essa ditadura, que vem desde 1994, tem de acabar, pois há mais de dez anos vem assolando a nossa sociedade, trazendo um retrocesso jurídico sem precedentes, principalmente para as classes mais baixas. Mais de 160 milhões de brasileiros, por conta desses usurpadores do poder, não têm acesso ao Direito, cada vez mais caro, colocando em cheque os pilares sustentadores do nosso Estado de Direito.

 

Não devemos permitir mais essa barbárie, pois é assim que tudo começa. Conclamo a todos os novos advogados e toda a sociedade para que, juntos, possamos dizer NÃO a esses bárbaros, a essas inscrições ilegais para um Exame com provas ilegais, que jamais deveriam ter começado.

 

AGORA CHEGA, já foram longe demais!

 

Quero deixar bem claro, também, que não tenho medo dessas provas, pois passei por todas, da melhor maneira possível e legalmente, nos seis anos que estive estudando na faculdade em que me graduei em Bacharel em Direito.

 

Senhoras e senhores, assim como eu, todos que estão formados com a devida chancela do Estado de Direito, TÊM COMPETÊNCIA PARA EXERCER, SE QUISEREM, VEJAM BEM, SE QUISEREM, A QUALQUER TEMPO, A ATIVIDADE PROFISSIONAL DE ADVOGADO, PARA A QUAL FOMOS QUALIFICADOS E RECEBEMOS O TÍTULO DE DOUTORES EM CIÊNCIAS JURÍDICAS.