RESPOSTA AO REYNALDO

15.06.2010

 

Prezado dr... o importante seria se chegássemos a 1 milhão de votos, mesmo os percentuais estando 51% a 49%...

 

Se não chegarmos a 100 mil pelo menos, mesmo com 99% será uma vitória de Pirro... Precisamos "encher" os olhos dos senadores e seus assessores com nossa causa... Vamos trabalhar.. 

Hoje tivemos 6 mil votos... 

Sei que o senhor está pedindo votos em sala de aula, gostaria que o senhor enviasse um email relatando seu trabalho e sua posição no email que enviei agora há pouco e que já combinei de enviar ao assessor do senador Gilvam, que vai imprimir e entregar a ele...

 

Vamos ver se esta votação e este email com testemunhos, incentivam o senador a fazer um pronunciamento na Tribuna...

 

Grande abraço e grande dia.... (sei que o senhor vai ler este email por volta das 5h da manhã, hora em que eu estarei indo dormir....)

 

Reynaldo 

 

 

Exatamente, Reynaldo. Eu tenho divulgado essa enquete. Mas já são 4 horas da manhã...

E já estamos com 33.000 votos. Desde ontem, às sete horas da noite, foram mais  4 mil votos. Acho que vamos ter quase dez mil hoje, dia 15. Nessa marcha, vamos passar dos 100 mil votos, o que ainda será muito pouco, para demonstrar a revolta dos bacharéis em direito, impedidos de advogar por esse exame inconstitucional, imoral, discriminatório, estúpido e criminoso. Criminoso, aliás, como o de ontem, elaborado com a clara intenção de reprovar todos os candidatos, para resguardar o mercado de trabalho dos advogados já inscritos, que na grande maioria não fizeram o exame da OAB.

 Mas a OAB não é a única que pratica arbitrariedades. Aqui em Belém do Pará, a CTBEL proibiu, simplesmente, proibiu, o TRÂNSITO de caminhões em toda a cidade, durante todo o dia. Um empresário, ouvido pela TV, perguntou: " O que eu vou fazer com os meus caminhões e com os meus empregados?"

Então veja, Reynaldo: como o trânsito em Belém está congestionado, a CTBEL tem uma solução genial: proíbe os caminhões. Ou seja: o cidadão compra uma frota de caminhões, vai ao Detran, paga os impostos, emplaca os veículos e etc., e depois os CAMINHÕES NÃO PODEM TRAFEGAR.

Qualquer semelhança com o exame da OAB não é mera coincidência, porque o cidadão faz um vestibular, paga a matrícula e as mensalidades, estuda durante cinco anos, faz dúzias de avaliações, faz um estágio, elabora um trabalho de conclusão do curso, defende esse trabalho perante uma banca, recebe um diploma de sua instituição de ensino superior, autorizada e fiscalizada pelo MEC, e depois o seu diploma é rasgado pela OAB, para supostamente AVALIAR a sua qualificação. E ainda existem professores de direito que defendem esse exame, como se não fossem eles que lecionam nas faculdades de direito e que aprovam todos esses bacharéis, que depois são reprovados pela OAB.

Portanto, se em Belém já existem muitos veículos, a solução da CTBEL é proibir que eles entrem na cidade e, da mesma forma, se no Brasil já existem muitos advogados, a solução da OAB é impedir que os novos advogados, formados pelas IES, recebam as suas carteiras, para que possam trabalhar, e até mesmo para pagar os financiamentos que foram obrigados a fazer para pagar as suas mensalidades. 

Se o nosso Congresso não tiver a coragem de enfrentar os interesses corporativistas dos dirigentes da OAB, ACABANDO COM ESSE EXAME, fazendo valer a Constituição Federal e resguardando um dos mais importantes direitos fundamentais, o direito ao livre exercício profissional, o Brasil continuará a ser um dos países de maior desigualdade social. Vamos continuar protegendo os advogados já existentes, contra a concorrência dos novos profissionais, e os nossos presídios continuarão superlotados por pessoas, noventa por cento pobres, noventa por cento inocentes, mas que não tiveram direito à defesa e nunca foram julgados, nem muito menos condenados, mas não podem pagar um advogado, e as defensorias não funcionam, apesar dos milhões que a OAB de SP recebe, por exemplo, com o seu inconstitucional convênio de assistência judiciária, que emprega quase 50 mil advogados não concursados, mas indicados pela OAB, e pagos pelo Estado de SP, COM DINHEIRO PÚBLICO!!!

Bem, Reynaldo, eu vou ficando por aqui. Já são quase cinco horas da manhã. Faço votos que os nossos representantes entendam a importância da sua missão e entendam que o Exame da OAB impede que milhões de pais de família trabalhem honestamente, dentro da profissão que livremente escolheram.

Um abraço do

Fernando Lima