JORNAL AQUI DF

Brasília, Quinta-Feira, 16 de outubro de 2008

 

Cespe

 

Foi com muita preocupação que tomei conhecimento através da mídia das irregularidades que vem sendo detectadas no Cespe/UnB, dentre elas a de que vinte e um de seus servidores foram aprovados no concurso da ANVISA. Diante desse vergonhoso precedente e preocupado com a egrégia OAB  que se declarou incompetente para elaborar e aplicar o famigerado e inconstitucional exame da ordem, terceirizando-o junto ao Cespe/UnB, que está  faturando rios de dinheiro com altas taxas de inscrições, taxas de recursos etc, e com o fito de evitar a repetição de tais fraudes no lucrativo exame da ordem, a exemplo no ocorrido nos exames da OAB-DF, Goiânia, Caldas Nova, Roraima, Rondônia, Maranhão, Rio de Janeiro, São Paulo, Ufa! e considerando que as pessoas que defendem este tipo de exame, alegam a falta de conhecimento dos bacharéis de direito, o bom senso recomenda a extinção  urgente desse exame, abrir mão da reserva de mercado, substituindo-o por práticas jurídicas e/ou estágio obrigatório, cujo objetivo é propiciar aos estudantes a oportunidade, entre outras coisas, de adquirir experiência e aperfeiçoamento profissional no campo forense, para enfrentar os desafios que caracterizam os tempos modernos. O mercado saberá avaliar e escolher os bons advogados e a egrégia OAB tem mecanismos para punir exemplarmente e até mesmo excluir dos seus quadros os maus profissionais que desrespeitarem o seu código de ética, conforme o prevê o art. 35 da Lei nº8.906/94. Lembro aos incautos que defendem tal excrescência, que nenhum dos ministros do STF, STJ e TST precisou se submeter ao exame para se tornarem famosos.

 

 

VASCO VASCONCELOS

Analista e Escritor

BRASÍLIA-