Enade torna desnecessário o exame da OAB

Publicada em 20/11/2008 às 16h45m

Artigo do leitor Vasco Vasconcelos

·                    Obrigado pelo voto

·                Média: 3,0

Comente

Comentários

Se aproveitando da debilidade e da prostração do Ministério da Educação, que não exercia suas prerrogativas constitucionais, espertalhões de olho no lucro fácil e sob o falso argumento da baixa qualidade do ensino superior passaram a exigir dos bacharéis de Direito o pecaminoso, restritivo, imoral, inconstitucional e lucrativo exame da OAB.

Foi com muita alegria que tomei conhecimento, nesta quinta-feira, através deste jornal, que felizmente o MEC está saindo do estado de entorpecimento e começou a reassumir o seu verdadeiro papel, ou seja: a partir de 2009, todos universitários, inclusive os do curso de Direito, no início e no fim do curso serão avaliados pelo Enade, sob pena de não ter direito ao diploma.

Com esse intento, torna-se desnecessário o famigerado exame da OAB, fonte de enriquecimento dos donos dos cursinhos, o qual, rogo ao nosso presidente Lula substituí-lo por práticas jurídicas nos órgãos da Justiça, estágio supervisionado nas próprias universidades reconhecidas por aquele Ministério e/ou nos escritórios de advocacia credenciados junto a OAB. O mercado saberá avaliar os bons advogados e a egrégia OAB, de acordo com o art. 35 da Lei nº8.906/94 (Estatuto da AOB), poderá punir exemplarmente e até excluir dos seus quadros os maus advogados, cujas sanções disciplinares consistem: censura, suspensão, exclusão e multa.

Este artigo foi escrito por um leitor do Globo. Quer participar também e enviar o seu?Clique aqui

Assine O Globo e receba todo o conteúdo do jornal na sua casa